FacebookTwitteryoutubeSlideshareAPP
Get flash player to play to this file
FACEBOOK
NEWSLETTER

Remover e-mail da newsleter:

DESTAQUES

Sede da APFF - Porto da Figueira da Foz

Sobrevoando o Porto da Figueira da Foz #3

Sobrevoando o Porto da Figueira da Foz #2

Porto da Figueira da Foz em movimento #1

Porto da Figueira da Foz em movimento #2

Porto da Figueira da Foz #Crepúsculo [VÍDEO-FOTO]

Inauguração do Prolongamento do Molhe Norte do Porto da Figueira da Foz (5)

Regata dos Portos do Centro 2011 - Figueira da Foz (2)

Assinatura do contrato de concessão dos Estaleiros Navais do Mondego - José Luís Cacho

Dia Mundial do Mar na Figueira da Foz - 2010 (6)


METEO
Tempo Figueira da Foz
TWITTER
LINKS




FOTOS

 Forte e Edifício-Sede da APFF

Forte e Edifício-Sede da APFF
SLIDESHOW



EM DIA DE GREVE TOTAL DECRETADA PELO SEAL
Porto da Figueira da Foz operou sem perturbações

Naquele que era o primeiro dia de greve total decretada pelo SEAL para o Porto da Figueira da Foz, as operações decorreram normalmente e sem qualquer perturbação.

 

«Greve total foi um fiasco na Figueira da Foz»

Quem o garante é Raúl Capão, Manager da Foztráfego, que, à nossa publicação garantiu mesmo que, embora grande parte dos estivadores da Figueira da Foz sejam associados do SEAL, a maioria desses mesmos associados optou por ignorar o apelo lançado desde Lisboa por António Mariano.

Isto deve-se, ainda segundo o responsável da Foztráfego, ao descontentamento generalizado destes associados pela postura do SEAL, que «decreta greves, sem o real conhecimento da situação nos portos em questão», afirmando mesmo que acredita que muitos dos associados do sindicato estarão em vias de deixar de o ser.

«Artigos mencionados não foram violados»

Relembre-se que o SEAL havia decretado a abstenção de todo e qualquer tipo de trabalho durante todas as terças e quintas feiras no período compreendido entre 10 de Setembro e 8 de Outubro por, no entender deste sindicato, se terem verificado «violações graves aos artigos 535 e 540 do CT». Ora Raúl Capão garante que «o sindicato mente» e que os mesmos nunca foram violados.

Os artigos 535 e 540 dizem respeito, respectivamente, à substituição de trabalhadores grevistas e à coacção, prejuízo ou discriminação de trabalhadores por motivo de adesão ou não a greve.

FONTE




Data: 2018-09-12

feed
mapa