FacebookTwitteryoutubeSlideshareAPP
Get flash player to play to this file
FACEBOOK
NEWSLETTER

Remover e-mail da newsleter:

DESTAQUES

Sede da APFF - Porto da Figueira da Foz

Sobrevoando o Porto da Figueira da Foz #3

Sobrevoando o Porto da Figueira da Foz #2

Porto da Figueira da Foz em movimento #1

Porto da Figueira da Foz em movimento #2

Porto da Figueira da Foz #Crepúsculo [VÍDEO-FOTO]

Inauguração do Prolongamento do Molhe Norte do Porto da Figueira da Foz (5)

Regata dos Portos do Centro 2011 - Figueira da Foz (2)

Assinatura do contrato de concessão dos Estaleiros Navais do Mondego - José Luís Cacho

Dia Mundial do Mar na Figueira da Foz - 2010 (6)


METEO
Tempo Figueira da Foz
TWITTER
LINKS




FOTOS

 «Sta. Maria Manuela» na Figueira da Foz

«Sta. Maria Manuela» na Figueira da Foz
SLIDESHOW



INQUÉRITO AO NAUFRÁGIO DO «VENEZA» | NOVEMBRO 2017
Sucessão de erros faz quatro mortos no mar na Figueira da Foz

Uma manobra errada na recolha da rede de pesca, o não fecho de várias portas do barco - prejudicando a estanquidade - e alterações não aprovadas que tiraram a estabilidade do arrastão, foram as causas do naufrágio do ‘Veneza’ na madrugada de 29 de novembro de 2017. O acidente, a 20 km ao largo da Figueira da Foz, provocou quatro mortos. O corpo de um deles, o mestre Orlando Fonseca, ainda não foi encontrado.

As conclusões são do Gabinete de Investigação de Acidentes Marítimos. No relatório, a que o CM teve acesso, são descritas as manobras de arrasto até ao alerta automático de naufrágio às 04h15. "O afundamento foi repentino pois a tripulação não teve tempo de envergar os coletes e nem de pedir socorro", descreve. Um dos quatro tripulantes estava embarcado apenas como observador.

Na faina perdeu uma porta de arrasto e estava a alar a rede com a grua a estibordo (direita) quando o normal seria na popa (atrás). O peso da rede e o mar a bater a bombordo terão feito com que o arrastão adornasse e a água entrasse por estibordo. Rapidamente foi inundado devido ao facto de as portas da casa do leme, acesso ao porão e interior da embarcação estarem abertas. É referido um cabo preso na hélice e veio "durante a descida da embarcação até ao fundo ou durante a manobra de recolha".

Os investigadores alertam que uma vistoria da Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos "constatou que a embarcação não cumpria com os critérios de estabilidade, pois adormecia a um dos bordos [o que terá contribuído para o acidente], pelo que deveria efetuar as modificações necessárias e solicitar nova vistoria".

Mas antes de o processo estar concluído foi "emitido o certificado de navegabilidade (...) pela Capitania do Porto da Nazaré". Tal leva os investigadores a recomendar que aquando "da emissão de certificados de navegabilidade, seja confirmada a não existência de processos de modificação em curso" e que quando se tratem de situações que "coloquem em causa a navegabilidade" seja recolhido o certificado de navegabilidade.

PORMENORES

Não foi abalroada
"A embarcação Veneza não colidiu com outra embarcação ou navio e não embateu em nenhum objeto", diz o relatório.

Sem coletes salva-vidas
"Os 3 tripulantes recolhidos da água já cadáveres não se encontravam no interior da embarcação e não envergavam coletes salva-vidas", afirma.

fonte




Data: 2018-08-27

feed
mapa